FORAM AS SURRAS QUE ME FIZERAM SER UMA PESSOA DE BEM

julho 17, 2018


"Eu era um terroristinha mesmo"
"Eu merecia"
"Eu era muito teimosa"
"Eu provocava"
Você já se pegou dizendo algumas dessas frases?


Podemos adicionar mãos e pés nessa imagem não acham?
Pessoas acreditando que mereceram uns "sarrafos", cintadas, tapas, beliscões, apertões, chineladas, vassouradas, surra de varinha, palmadas na bunda.
Um pedido: por favor, comecem a pensar de maneira menos ilusória sobre isso. Fale sobre tua infância de maneira mais honesta. Pense como se sentia aterrorizada quando apanhava. Não é engraçado. Provavelmente você ri hoje como um mecanismo de defesa, porque provavelmente foi bem assustador, antes, e você sequer quer lembrar disso.
Não estaremos quebrando a confiança dos nossos pais, nem falando mal deles. O caso é que há trinta anos atrás não havia as informações que existem hoje. Eles fizeram o que era o "recomendado". 
"Sou uma pessoa de bem e prefiro ter apanhado dos meus pais do que da polícia". Que tal assumir que não precisava ter apanhado de nenhum dos dois? 
Que tal assumir que você é um pouco agressivo e não sabe a razão, se revolta fácil e não sabe a razão, sofre com ansiedade e sofre por não saber se relacionar como gostaria? Que tal assumir que se mete em relacionamentos ruins, ou se afasta das pessoas por não confiar?
Que tal assumir que prefere dopar seus sentimentos às vezes? Ou sempre?
Que tal assumir que talvez você não esteja tão bem assim, principalmente emocionalmente, apesar de ser uma pessoa boa?
Que tal começar a perceber que você virou uma pessoa boa por conta dos colos, dos beijos, do tempo passado junto, da diversão e das conversas? 
Não é necessário defender a violência pra defender sua família. Se liberte disso, pelo seu bem e pelo bem de outras crianças em outras famílias.
Nós precisamos mudar a forma de pensar a infância, começando pela nossa.

Eu li esse texto no grupo fechado do Facebook #paposobreautoestima e realmente me toucou, me fez refleti e então com algumas alterações achei importantíssimo compartilhar aqui, você já leu ou ouviu ditado mais verdadeiro do que: quem bate esquece, quem apanha não!
Me lembro de algumas das vezes em que apanhei, cada um dos objetos usados nas surras e de cada uma das vezes em que fiquei com alguns ematomas que eu tentava esconder dos coleguinhas da escola vestindo roupas longas e blusas de frio, Eu me lembro de alguns dos motivos por ter apanhado, perdia os talheres da minha mãe brincando de cozinhadinha, na real não me lembro do resto não.
De uma coisa eu sei quando a Bíblia diz "vara da disciplina" com certeza não é no sentido literal.
Lógico que que ama cuida, corrige, adverte, e logicamente se você assim como eu fez parte dessa geração que apanhou,  saibam que nossos pais erraram tentanto acertar, e eles não perdem o valor em nossas vidas por isso, mas não e necessário apanhar pra entender que a vida é dura, não é preciso apanhar pra ser uma pessoa de bem, educar não é sinônimo de agredir, de bater.
Será mesmo que é previso levar surras dos pais pra ser uma pessoa de bem? Você convive com alguém de boa índole que nunca apanhou dos pais? 
Bom...Eu sim.

Desculpa sociedade mas eu não acredito mais que  sofrer calado, engolir o choro faz alguém mais forte ou menos doente, estão dizendo por aí que somos a geração mimimi , não pode mais falar disso, nem daquilo , tudo VOCÊS problemizam , porque antigamente não era assim.... Eis o ponto TODOS esses problemas sempre existiram, nós DEFINITIVAMENTE somos a primeira geração com CORAGEM para falar sobre isso.

Agora observe a imagem abaixo por alguns segundos:

E se você sentiu vontade de me contar como você sente ou pensa Sobre o assunto , pode deixar seu comentário! Vou ler todos, e não se esqueçam QUE VOCÊ ESTAR FELIZ É O QUE IMPORTAAAA! 

Talvez também lhe interesse

0 comentários